6.2.09

MANUEL RESENDE

ENTRE O PAPEL E A PALAVRA


1.

Entre o papel e a palavra, o travo
Amargo a sílaba nos lábios.
Sou sábio e sei-o. Descasco
(Estanhos duros lavo)

O metal doméstico que amestro
...nestas páginas alinho
Trigo limpo, água brava
– Palavras que o papel lavra –.

Furto larvado. Fruto lavado
Sobe do dorso surdo dos escravos
E nestas palavras bem o sabe.
(........................... se abre).

Vou assim os tempos apalavrando:
Sei muito bem, mas traduzo mal.
(A fair field full of folk:
Un campo bello loco de pueblo).

2.

Dedicam-se
Ao comércio
À indústria
Ao tamanho da terra
Séculos de mãos levedaram a dura pedra
O metal ardiloso
A argila (o
grito indomado
dos povos e oprimidos).

3.

Já não vale a pena sorrir
com ou sem piedade nem torcer
a ginástica fatal dos corpos
(o amor a violência o ódio)

Que tempos estes Que mortos
Já em nós esperam Que
silencioso carregamento de fúria
(o amor a violência o ódio)

Assim vamos antes que
seja tarde ..................A-
mestramos os corpos os seus
..................... artefactos.
(Deixai-me contar com ódio)

(de Natureza morta com desodorizante, Gota de Água / Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 1983 – Plural)

2 comentários:

A. ANDRADE disse...

Parabéns pelo blog. Limpo e claro. Gosto de ler textos assim! Sucesso!

Devaneios Poéticos disse...

O Devaneios é um blog que foi criado para aqueles que gostam de partilhar seus poemas e suas prosas.
A ideia de se criar o blog, partiu da existência do canal #Devaneios, existente no chat do mIRC. É um canal onde se partilha igualmente os poemas e os seus sonhos mais encantados.
Inicialmente, o blog tinha sido criado para mostrarem apenas poemas, mas como ainda há poucas pessoas que conhecem o blog, aceita-se que também enviem suas prosas para o email devaneios.poesia@gmail.com.
O blog está em http://devaneiospoesia.blogspot.com/. Espero que gostei. Ele foi feito para os que gostam de escrever e para aqueles que gostam de poesia.

Cumprimentos atenciosos.

Marisa Correia