24.5.10

PHILIP LARKIN


As árvores

As folhas rebentam nas árvores
Como algo que quase se diz;
Os novos botões espreguiçam-se,
O verde é uma forma de mágoa.

Será que renascem, e nós
A envelhecer? Não, também morrem.
O truque que as faz parecer novas
Está escrito no grão dos anéis.

Porém os castelos inquietos
Adensam e crescem com o Maio.
Dizem: "passou, morreu o ano —
Recomecem, recomecem..."


(de High windows / Janelas altas, tradução de Rui Carvalho Homem, edições Cotovia, 2004)

1 comentário:

Ela disse...

Belíssimo poema e tradução.

Tenho saudades do meu professor de estudos irlandeses.