10.5.10

MANUEL MARÍA


O POEMA


UN poema é un ser vivo que anda,
respira, soña, chora, salouca,
ama, berra, cintila, escurece,
cala, aborrece a mentira,
sente ódio e tenrura, desángrase,
fala de intimidade a intimidade
coas cousas e coa xente, suxere
mundos posíbeis e imposíbeis,
sua, cansa, sofre sede e fame,
adoece, agoniza. E nunca morre.


(in Antoloxía Poética, Espiral Maior, 1993 - original de A luz ressuscitada, 1984)

Salouca = soluça

1 comentário:

Gigi disse...

Um poema é mais k ser vivo, é a vida expressa em palavras, tantas vezes coloridas, tantas vezes sem cor...um poema tem vida na alma do escritor...