23.6.10

JOANA BÉRTHOLO

[...] não se pode dar ouvidos à minha irmã Karenyina.
- Porquê?
- Ela é boa pequena. Bonita como há poucas. Mas é meio-louca. Por isso é que o povo gosta tanto dela. Desde pequenina que só sabe abrir a boca para contar mentiras. Por isso é que o povo gosta tanto dela. Porque de vez em quando, acerta.
Acerta como?
- Conta histórias de coisas que ninguém sabe. E depois quando se vai a ver, são verdade.
[...]

(excerto de Diálogos para o fim do mundo, editorial Caminho, 2010 - o campo da palavra)

1 comentário:

maria carvalhosa disse...

Este excerto dá para adivinhar que estamos perante um livro muito bom.
Vou procurar..
Beijo