23.6.05

[outros melros XXVII - agradecendo à R. que mo descobriu]

PAULO TEIXEIRA

Pinhal com lago

(...)

III

O melro tartamudeia a caminho da mudez,
os grilos que num assobio imitativo se respondem,
seres minúsculos na voz débil da sua apelação,
são impossíveis de assinalar entre os juncos e os arbustos
quando os animais vão por velhas áleas
abrindo um itinerário conhecido na folhagem.

Os galhos do veado podem mover-se ainda,
agora que terminados são os jogos do homem
e depositado foi o primeiros mosto no lagar.
Agora, que as aves rostradas espreitam
entre os ramos, o texugo, o javali e a raposa
com seus adágios imporão à natureza

amortalhada pela noite um antigo fabulário.

(de Túmulo de Heróis Antigos, editorial Caminho, 1999)

1 comentário:

Rute Mota disse...

Ornitologia... Talvez seja essa a minha verdadeira vocação. Haverá uma vertente especializada em melros?